AULA 15 - PRECE

Bons Estudos

Expositor Arnaldo

Material Complementar

Conteúdo da Aula

O QUE É A PRECE
A prece é o nosso veículo de comunicação com Deus e o plano espiritual. Emmanuel, no livro Rumo Certo, psicografia de Chico Xavier nos esclarece: “Seja onde seja, recorda que Deus esta sempre em nós e agindo por nós”. Para assegurar-nos, quanto a isso, bastar-nos-á a prática da oração, mesmo ligeira ou inarticulada, que desenvolverá em nós outros a convicção da presença divina, em todas as faixas da existência.

Certamente, a prece não se fará seguida de demonstrações espetaculares, nem de transformações externas imprevistas. Pensa, todavia, no amparo de Deus e, em todos os episódios da estrada, senti-lo-ás contigo no silêncio do coração. Nos obstáculos de ordem material, esse apoio não te chegará à obtenção do dinheiro fácil que te solva os compromissos, mas na força para trabalhar a fim de que os recursos necessários te venham às mãos; na hora de dúvida, não te virá em fórmulas verbais diretas que te anulem o livre arbítrio e sim na inspiração exata que te ajude a tomar as decisões indispensáveis à paz da própria consciência; nos momentos de inquietação, não surgirá em acontecimentos especiais que te afastem dos testemunhos de fé, mas percebê-los-ás contigo em forma de segurança e bom animo, na travessia da aflição; nos dias em que o mal te pareça derrotar a golpes de incompreensão ou de injúria, não se te expressará configurado em favores de exceção que te retirem dos ombros a carga das provas redentoras e sim na energia bendita da fé viva que te restaure a esperança, revestindo-te de coragem, a fim de que não esmoreças na rude jornada, em direção à vida nova.

Seja qual seja a dificuldade em que te vejas ou a provação que experimentes, recorda que Deus está contigo e nada te faltará, nos domínios do socorro e da bênção, para que atravesses todos os túneis de tribulação e de sombra, ao encontro da paz e a caminho da luz”.

FINALIDADE DA PRECE
Através da prece podemos pedir, louvar ou agradecer; podemos orar por nós ou pelos outros, pelos vivos ou pelos mortos. Tudo ocorre de acordo com a vontade de Deus, se oramos aos Bons Espíritos, eles servirão de intermediários à vontade de Deus. A energia da ligação entre aquele que ora e aquele que recebe o conteúdo da oração, está de acordo com a energia do pensamento e da vontade daquele que ora.

Através da prece, o homem chama para si a ajuda dos Bons Espíritos, que vem sustentá-lo nas suas boas resoluções e inspirar-lhes bons pensamentos. Ele adquire assim a força moral necessária para vencer as dificuldades e voltar para o bom caminho.

Através da prece pode alimentar seu Espírito, suavizar dores e angústias, consolar e fortalecer, higienizar o ambiente fluídico, reconhecer sua pequenez, buscar apoio em quem nos é superior, estabelecer contato com a Espiritualidade, evitar problemas e tentações, desviar os males que atrairia por suas próprias faltas.

Através da prece nossas irradiações mentais atingem aqueles a quem nos dirigimos, captamos de energias e pensamentos reconfortantes e fortalecedores, alcançamos serenidade, soluções, aceitação forças par nos conformar, atraímos bons Espíritos.

COMO ORAR
Conversando com Deus, com humildade e simplicidade, sem cobranças ou negociatas e sem ressentimentos. Não há necessidade de local ou horário marcado, posturas, fórmulas ou rituais.
Não precisamos excessivamente ou de forma rebuscada, mas sim de maneira clara, cada palavra deve revelar uma ideia.

“A prece é sempre agradável a Deus, quando ditada pelo coração, porque a intenção é tudo para Ele (...)” (Livro dos Espíritos, Q.658).

Aprendemos a pedir e esperar passivamente pela resposta. Pedir e não perseverar é esperar por milagre. Deus não faz milagres. A prece fervorosa favorece a consecução dos objetivos almejados: a fé que transporta montanhas. A simples repetição de palavras, sem sentimento, não tem eficácia.

“Como não se vive sem pensar (...) deve-se fazê-lo sempre de forma positiva e otimista, gerando novo costume no campo mental, até que seja absorvido e transformado em automatismo pela repetição natural.” (Joanna de Ângelis, Plenitude, Cap. VII).
“Ajuda-te, que o céu te ajudará.”

EFICÁCIA DA PRECE
Algumas pessoas contestam a eficácia da prece por considerar que Deus conhece todas as nossas necessidades, além de que tudo se encadeia de acordo com as leis que regem o universo, nossas preces não mudariam os desígnios de Deus.

Sem dúvida existem leis que regulam o funcionamento do universo, mas daí acreditar que tudo esteja sujeito à fatalidade vai uma grande distância. Existem acontecimentos que sem fugir às leis, podem modificar o resultado dos fatos, permitindo que Deus atue. Mas nem todos os pedidos são atendidos, pois a providência sabe aquilo que melhor nos convém. Como um pai zeloso e prudente sabe do que é melhore o que é prejudicial ao seu filho, independentemente dos pedidos deste. Devemos fazer a prece com confiança, e Deus nos concederá coragem, confiança e resignação.