< Back
AULA 9 - A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA

AULA 9 - A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA

André Luiz nos lembra de que a família é a união de almas em processo de evolução, que é ajuste e aperfeiçoamento. Não temos a família que gostaríamos, não temos a família que queremos, temos a família de que necessitamos.

Cada reencarnação é uma oportunidade para o Espírito, e ela acontece no seio familiar. Ele recomeça, às vezes em uma família que lhe dá apoio e sustentação ou em uma família dilacerada pelo conflito. Na família ele recomeça seu aprendizado, lá ele sofre, aprende, caminha.

O Espírito que já falhou em outras oportunidades sabe da importância do apoio e reconforto que pode receber no ambiente familiar. Renascer numa família equilibrada é uma benção que nem todos sabem valorizar. A harmonia familiar depende da harmonia de cada um de seus membros.

Uns apoiando os outros.

Os laços de sangue não são necessariamente os laços espirituais. O corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do espírito. Os espíritos que reencarnam numa mesma família, sobretudo parentes próximos, são frequentemente Espíritos afins, unidos por relações anteriores, que se traduzem por afeição durante a vida terrena, mas pode ocorrer também que esses espíritos sejam completamente estranhos uns aos outros, divididos por antipatias igualmente anteriores, que se traduzem pelo antagonismo na Terra, para lhes servirem de prova.

Os verdadeiros laços de família não são, portanto os consanguíneos, mas os da simpatia e comunhão de pensamentos, que unem Espíritos antes, durante e após sua encarnação. Segue que, dois seres provenientes de pais diferentes podem ser mais irmãos em espírito, do que se o fossem pelo sangue.
Há então, dois tipos de famílias: as famílias pelos laços espirituais e as famílias pelos laços corporais. As primeiras, duráveis, fortificam-se com a evolução, e se perpetuam no mundo dos Espíritos, através das diversas migrações da alma; as segundas, frágeis como a matéria, extinguem-se com o tempo e, frequentemente, se dissolvem moralmente desde a vida atual. Mas a vida atual é muito importante, pois proporciona oportunidade de progresso e reajuste ao Espírito. E a vida ocorre em família, de todos os tipos, de harmônicas a totalmente desajustadas, inclusive com necessidade de casos em que o indivíduo reencarne na orfandade, de acordo com a situação mais adequada para ele desenvolver valores que necessita.

A família já foi um núcleo fechado, autônomo, onde as atividades estavam ligadas a labores ligados a terra. Era moradia, escola, igreja e hospital. Hoje, a família moderna está sujeita a uma rica vida em sociedade, sujeita a uma troca de informações intensa. Muitos acham a sociedade atual muito permissiva, onde o materialismo domina.

Os verdadeiros valores do para o Espírito são colocados em cheque. O medo e a ansiedade mostram uma falta de diretriz, que o obrigam a buscar esclarecimentos, orientação.

Qual caminho a seguir para uma vida equilibrada, produtiva e feliz? O Espiritismo tem todas estas respostas. Ao considerar cada indivíduo como Espírito imortal, revela sua natureza espiritual, dotado de possibilidades imensas. É um Espírito em evolução, que deve passar por diversos estágios. Está sujeito à lei de causa e efeito, qualquer envolvimento emocional cria uma afinidade que o liga a outros espíritos passando pelo mesmo processo. Eles se ligam e se buscam atraídos pelo amor e pelo ódio, buscando reajuste caso em caso de desarmonia com as leis de Deus.

Como aprendemos na doutrina espírita, nosso planeta simboliza um hospital, uma prisão, uma escola enfim.

Portanto, como alunos dessa escola temos que procurar esforçarmos para aprender as lições.
Que lições são essas?

O amor, o perdão, a paciência, o companheirismo, a indulgência enfim.

Nossa família é uma classe dessa abençoada escola que o Pai Celestial nos concede, para que juntos através de nossas reencarnações sucessivas possamos nos ajudar uns aos outros a reparar erros do passado, trabalhando com coragem, confiança e fé para alcançarmos a tão desejada evolução espiritual.

Sabemos que esta tarefa não é fácil porque ainda nos encontramos em uma sala do pré-primário.
Sabemos que ainda estamos engatinhando perante a eternidade.

Conforme formos nos melhorando a cada reencarnação com o nosso grupo familiar, poderemos assim passar para uma classe de primeiro grau e assim por diante, até chegarmos a uma Universidade, ou seja, nos tornar espíritos evoluídos.

Por tudo isso que já sabemos através dessa Doutrina maravilhosa que nos ensina, esclarece e nos mostra o que fazer precisamos trabalhar bastante para colocarmos em prática seus ensinamentos, principalmente com aqueles entes queridos mais difíceis, complicados que fazem parte do nosso grupo familiar, que com certeza não estamos juntos por acaso. O pai celestial e misericordioso nos concede esta oportunidade para que todos nós espíritos encarnados neste planeta de provas e expiação, possamos um dia juntos chegarmos a espíritos puros.

Somente a Doutrina dos espíritos consegue nos explicar as verdadeiras necessidades de aprendizado que fazem parte da nossa bagagem espiritual e que pela reencarnação nos é permitida esse exercício através do relacionamento familiar, é o laboratório onde experiências valiosas ajudam a enriquecer a mente e o coração.

Isoladas, nenhuma delas seria suficiente para retratar todo envolvimento material, espiritual, o emocional, sentimental e moral criados com os laços familiares.

A Doutrina Espírita esclarece sobre a responsabilidade dos indivíduos constituintes da família. Em que fundamentos religiosos ela se baseia, quais fundamentos afetivos ligam seus indivíduos, como exercer a maternidade e paternidade responsáveis, nos esclarece sobre o papel do sexo no lar, como superar os problemas do casamento, ou seja, oferece fundamentos para que o indivíduo esteja ciente de suas possibilidades e responsabilidades.

A família é um conjunto de indivíduos, que reagem um sobre os outros, com uma dinâmica particular, pois cada indivíduo tem suas particularidades, suas inclinações, qualidades e defeitos próprios, resultado da somatória de suas existências anteriores. Ao se melhorar, ele estará melhorando sua família, mas ele necessita do apoio dos outros elementos de sua família para auxiliar no seu progresso. Então, temos uns apoiando os outros. Aqueles mais adiantados ajudam aqueles mais atrasados. Ao melhorarmos a família, estaremos melhorando as coletividades e depois nosso planeta. Tudo começa no indivíduo.

A Doutrina Espírita traz ao Espírito uma compreensão da obra de Deus, uma compreensão de sua destinação e do que precisa para estar em harmonia com as Leis de Deus. Ele compreende a importância da família e como agir para a harmonia familiar.

BIBLIOGRAFIA
Kardec, Allan, Evangelho Segundo o Espiritismo, caps. IV, XIV e XXII.
Kardec, Allan, Livro dos Espíritos.
Regis, Jaci, Amor Casamento e Família.

Os laços de sangue não são necessariamente os laços espirituais.

logo.png