< Back
AULA 8 - REENCARNAÇÃO

AULA 8 - REENCARNAÇÃO

DEFINIÇÃO
Reencarnação quer dizer nascer de novo ou renascer na carne. Reencarnar significa acima de tudo, como fenômeno, mergulhar na nossa dimensão física. Ressurreição, do latim ressurrectio, significa literalmente voltar à vida, o ato de uma pessoa considerada morta viver novamente, utilizando o mesmo corpo.

CONCEITOS BÁSICOS
ESPÍRITO: princípio inteligente. Sua natureza íntima é desconhecida. Os espíritos são seres individuais, possuem um envoltório etéreo e imponderável (períspirito). Revestem temporariamente um invólucro material perecível e após a morte voltam à liberdade.

Os espíritos são criados simples e ignorantes. O aperfeiçoamento do espírito é fruto de seu próprio esforço. Ele não permanece eternamente na mesma ordem. Todos melhoram através de reencarnações, que a uns é expiação e a outros, missão.

PERISPÍRITO (também dito corpo astral ou fluídico): Envoltório semimaterial retirado do fluido universal de cada globo. Não é o mesmo em todos os mundos, passando de um mundo para outro, o Espírito muda de envoltório. É o corpo fluídico do Espírito, é mais ou menos etéreo, segundo os mundos e o grau de adiantamento do Espírito.

O períspirito é o intermediário entre o Espírito e o corpo, é o órgão transmissor de todas as sensações (o corpo recebe, o períspirito transmite ao Espírito). O períspirito é constituído de matéria, porém caracterizada por outro estado vibratório. É um verdadeiro arquivo de tudo quanto o sujeito aprendeu, experimentou e assimilou.

“NINGUÉM PODERÁ VER O REINO DE DEUS SE NÃO NASCER DE NOVO”
Ressurreição e reencarnação: a reencarnação fazia parte dos dogmas dos judeus sob o nome de ressurreição. Eles tinham vagas e incompletas noções sobre a alma e sua ligação com o corpo.
Acreditavam que o homem que vivera pudesse renascer no próprio corpo.

Em muitas passagens do evangelho encontramos a ideia de que João Batista era Elias e de que os profetas podiam reviver na Terra. “Se um homem não renasce da água e do espírito” foram interpretadas como regeneração pela água do batismo. (Significado do termo “água”: símbolo da natureza material, como o Espírito era o de natureza inteligente).

“O Espírito sopra onde quer, ouve-lhe a voz, mas não sabes donde ele vem, nem para onde ele vai”.
Espírito de Deus (dá a vida a quem ele quer).

Espírito do homem (ninguém sabe o que ele foi, nem o que será o Espírito). Princípio da preexistência da alma e da pluralidade das existências.

Desde “o tempo de João Batista até o presente, o reino dos céus é tomado pela violência e são os violentos que os arrebatam”. Jesus se refere à época em que João Batista era Elias (vivia com o nome de), refere-se ainda à violência da lei mosaica. Acrescentou: “Ouça aquele que tiver ouvidos de ouvir”. Nem todos estavam em condições de compreender certas verdades.

Jesus e os profetas confirmaram de modo formal o princípio da reencarnação (ponto de uma das crenças fundamentais dos judeus). Negar a reencarnação é negar as palavras do cristo. Quando se trata de dar efeitos às causas, a reencarnação surge como necessidade absoluta, como Lei da Natureza. Só ela pode dizer ao homem donde vem, para onde ele vai, porque está na Terra e justificar todas as anomalias e aparentes injustiças.

As máximas do evangelho não podem ser entendidas sem o princípio da pré-existência da alma e da pluralidade das existências.

O CORPO ESPIRITUAL
Quando as entidades espirituais se tornam visíveis, observamos que elas possuem um corpo semelhante ao corpo físico. Este corpo espiritual se apresenta moldável conforme as emanações mentais do espírito.

Cada espírito apresenta seu períspirito com aspecto correspondente ao seu estado psíquico. A elevação intelecto-moral determina como consequ6encia uma sutilização do próprio corpo espiritual. Os Espíritos cujas vibrações são mais inferiores, seu corpo espiritual se apresenta mais denso e obscurecido.

Todo corpo em movimento no universo gasta energia. Dependendo do nível evolutivo do Espírito, varia a qualidade de energia que o mesmo necessita para manter suas atividades. Espíritos superiores simplesmente assimilam do cosmo os elementos fluídicos que necessitam. Os Espíritos mais relacionados com a nossa realidade possuem necessidades mais densas. Em muitas colônias espirituais, os Espíritos precisam da ingestão de alimentos energeticamente mais densos.

FINALIDADE DA ENCARNAÇÃO
Expiação, melhoramento progressivo da humanidade. Deus impõe a encarnação com a finalidade de levar os Espíritos à perfeição: para uns é uma expiação, para outros uma missão. Outra finalidade é permitir que o espírito cumpra sua parte na obra da Criação. A ação dos seres corpóreos é necessária à marcha do universo.

Os Espíritos que seguirem sempre o caminho do bem chegarão mais depressa ao alvo, a perfeição. Quanto menos imperfeito for, menos tormentos sofrerá.

DA REENCARNAÇÃO
A alma que não atingir a perfeição durante a vida corpórea, submete-se a prova de uma nova existência. Ao se depurar, ela sofre uma transformação, mas para isso necessita da prova da vida corpórea. Para isso necessita de muitas existências.

A cada nova existência o espírito dá um passo rumo ao progresso e deixa de necessitar das provas da vida corpórea, quando se despiu de suas impurezas. Depois de sua última encarnação o espírito se transforma em espírito bem-aventurado, um espírito puro.

JUSTIÇA DA REENCARNAÇÃO
A reencarnação se fundamenta na justiça de Deus. Todos os Espíritos tendem à perfeição e Deus na sua justiça permite-lhes realizar, em novas existências, aquilo que não puderam fazer ou acabar numa primeira prova.

A reencarnação fornece a única explicação lógica e natural acerca das desigualdades sociais, que as pessoas em geral consideram como injustiças. As diferenças nas classes sociais se devem ao fato de que os homens não são iguais. Nunca poderá haver igualdade completa, mas sim um equilíbrio no futuro. A reencarnação assegura oportunidades iguais para todos.

ENCARNAÇÃO NOS DIFERENTES MUNDOS
Nossas existências corpóreas não se passam todas na Terra, mas nos diferentes mundos. A alma pode reviver muitas vezes num mesmo globo, se não estiver adiantada o bastante para passar para um mundo superior. Não há nenhuma vantagem em voltar a viver na Terra, a não ser que se venha em missão. Ao passar de um mundo para outro o Espírito conserva a sua inteligência, esta nunca se perde. Os seres que habitam os diferentes mundos têm corpos, mas este envoltório é mais ou menos material, segundo o grau de pureza dos Espíritos.

“Há muitas moradas na casa de meu pai”. Passando de um mundo para outro, o Espírito passa por uma nova infância, pois é uma transição necessária, mas não é sempre tão ingênuo como na Terra.

Nem sempre o Espírito pode escolher o novo mundo em que vai habitar, o que vai determinar este poder de escolha é o seu grau de elevação. Os espíritos puros habitam determinados mundos, mas não estão confinados a eles como o homem a Terra, eles podem estar em toda parte. De todos os globos que constituem o nosso sistema planetário, a Terra é daqueles cujos habitantes são menos adiantados, física e moralmente.

TIPOS DE ENCARNAÇÃO
Compulsória: É aquela que colhe o espírito sem prévia concordância dele e até mesmo sem o seu conhecimento. É própria dos espíritos cujo grau de perturbação impede análise lucida da situação ou cujas faltas são tão graves que anulam a liberdade de escolha. Os arranjos são feitos por intercessão de entidades interessadas no reequilíbrio do Espírito que cometeu falta contra a Lei Divina.

Proposta: Leva em conta o livre arbítrio relativo que dispõe o Espírito. Mentores estudam seus débitos e méritos programando os principais acontecimentos de sua próxima existência na carne, tendo em vista a liquidação ou minoração de dívidas e as possibilidades de progresso. Mas não é imposto, podendo o Espírito discutir certas questões e propor alterações que serão aceitas ou não.

Livre: É propriedade dos missionários, Espíritos redimidos perante a lei ou próximos da redenção, possuem liberdade de escolha muito ampla. Pois vêm ao mundo material para o desempenho de tarefas elevadas, movidos pelo amor.

BIBLIOGRAFIA
Kardec, Allan, O Livro dos Espíritos.
Kardec, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Rizzini, Carlos Toledo, Evolução para o Terceiro Milênio.
Di Bernardi, Ricardo, Gestação: Sublime Intercâmbio.
Xavier, Francisco Cândido, Missionários da Luz, André Luiz, Espírito.
Di Bernardi, Ricardo, Voo Livre.

Reencarnação quer dizer nascer de novo ou renascer na carne. Reencarnar significa acima de tudo, como fenômeno, mergulhar na nossa dimensão física.

logo.png